Plante sua lua: o que significa (e como fazer!)

Movimento Plante Sua Lua
Movimento Plante Sua Lua

Você andou vendo por aí o movimento plante sua lua e ficou se perguntando… “Oh, Deusa, o que é isso?” Ou já sabe, mas quer descobrir mais? Então vamos juntas, que vou abordar um pouco sobre o que significa plantar a lua e como fazer isso na prática.

Pois não é de hoje que a Lua é percebida como uma alegoria ao feminino. E ela tem com as águas do planeta uma sinergia. Águas que, na percepção arquetípica, aludem aos sentimentos, que trazem à vida a tal da intensidade.

Aliás, águas são conectadas e mutantes: rios e afluentes desembocam no mar, para depois evaporarem e então chorarem novamente em rios de águas potáveis e seguras para tomar. Olha a importância da Lua (e das suas águas) para o planeta!

ciclo das águas 

Pois as águas de uma mulher são sua menstruação, ou, sua Lua!

Enfim, desde tempos imemoriais, as sociedades matrifocais e até as patriarcais perceberam que o ciclo menstrual de uma mulher – ou seu ciclo fértil – tem aproximadamente a mesma quantidade de dias que o ciclo da Lua.

Mas, muitas de nós passaram a utilizar métodos artificiais de controle da fertilidade, tais como as pílulas anticoncepcionais, adesivos e injeções, que acabaram com a necessidade de observação do período fértil. Mais uma “comodidade” dos tempos modernos. Quem nunca?

É por isso é que muitas mulheres não sabem mais como é o seu ciclo lunar natural. E se a fertilidade é artificialmente silenciada, o corpo feminino acaba sendo calado junto com ela.

Quebrando as correntes

O período menstrual já foi considerado como um momento em que a mulher se torna perigosa e digna de isolamento social. Houve o tempo em que o poder obscuro do período menstrual era temido.

O resultado deste medo (lembram da piada machista “não se pode confiar num bicho que sangra todo mês e não morre”?), é que a indústria veio nos últimos anos lançando produtos e que calam a menstruação e seus sintomas, lançando mão da cultura que se criou em torno deste período como um momento:

  • Nojento
  • Sujo
  • Dolorido
  • Chato
  • Tensssoo….

No qual não se pode fazer as coisas com o mesmo desempenho do que o “resto do tempo”.

Então, seguindo um pouco esta linha de raciocínio, o que vale é esse resto do tempo, sempre que estamos aptas a produzir e agir extrovertidamente, não sendo levadas por sentimentos.

Mas a pergunta é: o que ganhamos com isso?

Seja como for, é um grande afastamento de nosso corpo de mulher.

Sem dúvida, ser mulher é ter um corpo que sangra, um corpo que chora, um corpo que tem águas. Um corpo regulado, também, pelo movimento cíclico da lua (externa e interna).

a ressacralização do ventre

O Sagrado Feminino e suas imagens.
https://www.flickr.com/photos/31319275@N06/6647659717

Em geral, o corpo feminino precisa repousar mais quando está no período prévio ao menstrual. É uma forma de resgatar o silêncio e capacidade de utilizar o momento mais escuro (com mais horas de sono e não-interação), como um momento de recarga de energia para quando o corpo voltar a ovular. É para realizar esse resgate que existe o “plante sua lua”.

Por isso e pelo despertar coletivo e potencializado pelas mídias sociais, este tipo de resgate tem sido forte e muito rápido. Estão voltando a circular artigos caseirinhos, como os absorventes de pano, e sendo criados produtos para a reconexão com o ciclo e com o sangue, como os copinhos menstruais e os aplicativos ou diários artesanais nos quais as mulheres voltam a estudar o ciclo de fertilidade, observando subjetiva e fisicamente, as transformações pelas quais passam a cada ciclo lunar.

Como se conectar?

Em suma, já deu pra perceber que plantar a lua não é uma coisa só, são muitas! Se conectar com a lua pode ser:

  • Aprender a gostar de menstruar
  • Compreender a fertilidade
  • Entender as 4 etapas do ciclo menstrual (fase pré-ovulatória, fase ovulatória, fase pré-menstrual, menstruação) e como cada uma dessas etapas interfere no corpo
  • Trabalhar a ecologia a partir de escolhas mais naturais e sustentáveis no que se refere aos produtos para a menstruação
  • Sacralizar o período menstrual como um período de recolhimento e recarregamento de energia (ou como você quiser!)

Plante sua lua

De fato, a  palavra “ritual” vem de um termo sânscrito “RTU”, que significa menstruação, segundo Elinor Gadon. Daí, pode-se presumir que os primeiros rituais existentes já estiveram relacionados ao sangramento das mulheres. Acredita-se que o sangue no útero, que nutria os fetos possuísse poder mágico.

É muito simples, porém poderoso e curador.

Escolha como colher o sangue     

Dessa forma, use coletores menstruais que são práticos e eficientes… Em geral é possível se adaptar bem. Ou então, use bio absorventes feitos de algodão, deixando-os de molho na água.

Observe seu sangue

Depois que você puder ver o seu sangue (sem nojo), saiba observar as características (cor, odor, presença de coágulos, duração, fluxo, etc…). Seu sangue, que sai do endométrio a partir das paredes do útero (e que seria o primeiro alimento de um bebê, caso houvesse a fecundação), é rico em nutrientes, informações e histórias sobre o corpo durante o último ciclo lunar.

Além de ser muito nutriente para a Terra (possuindo nutrientes como Nitrogênio e outros que adubam-na, é o melhor biofertilizante de todos), ainda é uma tintura que pode ser diluída em álcool para pinturas, mandalas e outras magias criativas.

Entregue seu sangue para terra

Com o fim de dar significado ao seu ritual, escolha uma planta significativa para você em um jardim ou em um simples vasinho de planta em seu apartamento. Muitas mulheres plantam sua lua em plantas que representam sua feminilidade. Ofereça seu sangue como forma de conexão com aquela que exerce a maior das forças de atração que conhecemos.

É interessante experimentar de sangrar direto na Terra, deixando que o sangue escorra livremente enquanto senta sobre a Terra, ou sobre um vaso grande. O poder desta conexão criada é uma experiência única!

Afirme suas intenções       

Faça do seu ato de plantar a lua um ato ancestral no qual você deixa claras suas intenções, como se estivesse plantando elas junto com o seu sangue, na Terra, para que brotem durante o seu próximo ciclo.

Surpreenda-se com os resultados de se empoderar pela sua cura energética de doenças, principalmente as relacionadas ao útero, como amenorreia, ovário policístico, miomas, ciclo menstrual irregular, cólicas, etc.  Entregue também as impressões negativas que você carrega a respeito de ser mulher, do seu corpo… Nutra tudo aquilo que deseja, agradeça e pratique uma vida espiritualizada.

Plante sua lua!

Aho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *